Modelos de sites: 5 referências para 2018

Modelos de sites: 5 referências para 2018

Post Deixe um comentárioPostado em Web Design

O começo do ano é uma ótima época para rever as estratégias de marketing e vendas das empresas, e direcioná-las de acordo com os objetivos do ano. Pensando nisso, um dos pontos importantes de serem revistos é o design de websites.

As tendências de design web estão sempre mudando, como tudo no meio digital. Cores, fontes, modelos de layout e códigos estão em constante atualização como consequência das inovações tecnológicas e mudanças de comportamento da sociedade.

Diante disso, selecionamos algumas tendências de modelos de sites para você ficar de olho em 2018!

1) Sites com animações, GIF´s ou vídeos no fundo e tipografias grandes

Essa tendência surgiu em 2016 e vem ganhando força a cada ano, pois esses elementos proporcionam mais dinamismo ao layout, e em muitos casos ajudam a contar a história de forma mais simples e relevante – inclusive com interações. Combinado a isso, tipografias grandes com negrito e pouco texto ajudam a passar a mensagem de forma mais resumida.
É bom lembrar que os vídeos não devem ser muito pesados, e nem com volume de áudio alto. O ideal é que o áudio esteja mudo – o objetivo do vídeo nesse caso é totalmente visual.

Layout com vídeo no fundo
Usar animações em outros elementos do layout é interessante também, como em boxes com números ou pequenos banners.

Animação no layoutReferência: Manang Creative Template

2) Layouts coloridos e com texturas

Em muitos segmentos, é possível usar layouts coloridos e com texturas. Essa tendência começou com a moda e o design de interiores, mas já é aplicável a diferentes setores inclusive com gradientes e cores bem vibrantes que ajudam a fazer com que o seu website seja lembrado facilmente.

É importante observar que as cores selecionadas precisam ser relacionadas à identidade visual da sua marca, para que não haja uma sensação contrária.

Layouts coloridosReferência: Qust Pro Colorful Flat Portfolio

3) Ilustrações são bem-vindas!

O design flat (minimalista e com cores sólidas) tem sido muito usado há alguns anos, porém, ilustrações com mais detalhes e inclusive elementos animados em 3D e fotos têm voltado a aparecer.

Layouts com ilustraçõesReferência: Merry Christmas Theme

Um ponto interessante desse exemplo de Natal é que na versão para dispositivos móveis, a maior parte da ilustração foi retirada sem perder o contexto da página. E essa referência também tem um exemplo de animação como mencionado no item 1.

4) Flat design com profundidade

Já falamos aqui que o flat design tem dominado a web há alguns anos, e novos tipos de composição dando profundidade e um aspecto mais orgânico ao flat têm surgido.

Flat com profundidadeReferência: Design Culture / Créditos: Flyknit Lunar 1 & 3 Autor: Callum Notman

Layout de site flat com profundidade
Referência: Flat Logistic Template

5) Minimalismo

Layouts minimalistas estão na moda há alguns anos, pois ajudam a enfatizar os elementos e informações mais importantes do site, fazendo com que o usuário vá direto ao ponto para o que se deseja que ele faça. Essa é uma tendência forte inclusive para e-commerce ou sites que têm muito conteúdo, como blogs e portfolios.

Layout minimalista

Referência: Sobari Minimalist Theme

O benefício de fazer revisões e acompanhar as tendências é garantir que seu site esteja com um aspecto visual agradável e atualizado, além de aproveitar para fazer revisões de código, estrutura, conteúdo e SEO. Em outro artigo sobre reformulação de site, nós abordamos mais esse assunto.

É importante lembrar que seu site precisa ser responsivo (se adaptar bem a todos os dispositivos móveis), independente do tipo de layout escolhido.

As referências apresentadas são apenas idéias de modelos de sites, que podem ou não ter relação com o seu negócio – avalie bem antes de solicitar qualquer alteração ou executar alguma mudança.

O que você achou das idéias apresentadas? Diga nos comentários abaixo ou envie uma mensagem para nós!

Referências: Business2Community, Design Culture e Envato Market*

*As referências selecionadas foram extraídas do parceiro afiliado.

 

Como fazer e-mail marketing na sua empresa?

Post Deixe um comentárioPostado em E-mail Marketing, Marketing digital

O e-mail marketing foi uma das primeiras ferramentas de marketing digital e ainda é uma das que traz mais resultados. Com o tempo ela se transforma, mas não deixa de ser uma das melhores opções para manter relacionamento com os clientes e gerar retorno.

Vantagens do e-mail marketing

Dentre os benefícios, podemos destacar o grande potencial de personalização que o e-mail marketing oferece: você consegue personalizar os conteúdos de acordo com o interesse de quem vai receber a mensagem, usar informações pessoais e até customizar o horário de entrega de acordo com o comportamento do usuário. Isso torna a mensagem mais pessoal, e aumenta as chances de leitura e conversão.

O e-mail marketing tem grande alcance e bom retorno por um custo relativamente baixo: dependendo do volume da sua base de contatos, você consegue fazer os disparos de graça.

Alguns cuidados com sua estratégia de e-mail

Se alguém se cadastrou para receber mensagens da sua empresa, ela quer receber conteúdos relevantes e de qualidade. Então é importante planejar muito bem os impactos e tomar cuidado com a frequência dos e-mails.

A cada disparo de e-mail, mensure os resultados e utilize os aprendizados para as próximas campanhas. Ao fazer a avaliação, considere as métricas de negócio e também de comunicação – estas últimas vão te dar um direcionamento da qualidade do conteúdo.

Entendi! E então, como fazer e-mail marketing?

Para começar, você precisa escolher a ferramenta de e-mail marketing que usará para trabalhar. Algumas ferramentas como o MailChimp são gratuitas para quem está começando e tem poucos contatos e envios.

Existem dezenas de ferramentas no mercado. Para escolher a ideal para você, considere alguns pontos:

  • Valor: por mais que você comece gratuitamente, um dia a sua lista vai expandir e isso precisa caber no seu bolso.
  • Recursos: o ideal é que a ferramenta tenha integração com a sua plataforma de site ou landing page para gravar automaticamente os contatos que se cadastram na lista. É importante também que ela tenha recursos para automatizar as suas campanhas, e que o construtor de mensagens seja de fácil utilização.
  • Reputação: tente avaliar a reputação da ferramenta no mercado – verifique se ela tem boa taxa de entrega das mensagens, muitas reclamações e se é referência. Converse com profissionais que já utilizaram a ferramenta.
  • Compare: escolha algumas e compare esses pontos, e também outros benefícios.

Com a ferramenta escolhida, faça a integração com o seu site e você já poderá captar e-mails.

Construa uma lista de contatos

Com a ferramenta configurada, você precisa construir uma lista de e-mails. A primeira dica é: nunca compre listas de e-mails! O usuário tem que dar permissão para você enviar as mensagens, então essa lista deve ser construída por você.

Comprar uma lista de e-mail é uma prática de SPAM, e pode prejudicar a reputação da sua empresa. Além disso, normalmente as listas compradas nem sempre tem muitos endereços válidos ou os contatos tem alguma aderência com seu negócio. Isso torna a lista desqualificada para gerar leads ou conversões, e você pode perder tempo e dinheiro.

Uma das formas mais básicas de construir uma lista é colocando um campo para captação de endereços em seu site. As pessoas que se interessam pelo seu conteúdo vão se cadastrar para receber notícias, dicas e materiais.

Outra forma interessante de construir listas (e considerada por muitas empresas como a mais efetiva) é fornecer materiais ricos para os clientes: newsletters, e-books, assinaturas e outros serviços que vão fornecer conteúdo para os inscritos. Fornecer algo de valor é a melhor forma de cativar as pessoas.

Uma última dica sobre listas é ter mais de uma, e organizá-las de acordo com o perfil do cliente: é um lead? Já é cliente? Se interessa por determinado tema, produto ou serviço? Ter essas informações agrupadas te ajuda a entender o interesse de cada cliente.

Planeje as suas campanhas

Com tudo pronto, é hora de começar a planejar as suas campanhas de e-mail! O primeiro passo é montar uma grade de conteúdo, definindo quais serão os dias de impacto e temas abordados.

Exemplo de grade de conteúdo

Exemplo de calendário de disparos

Você pode montar isso com uma planilha simples, no Excel ou Google Drive. Montar esse calendário vai te dar uma visão macro, evitando que conteúdos se repitam e garantindo uma estratégia mais estruturada – e não que disparos aleatórios sejam feitos.

Ao planejar as suas campanhas, você deve ter um objetivo muito claro para cada mensagem: o que você quer que o cliente faça após ler a mensagem? Aquela ação deve gerar outra posterior?

Por exemplo, você pode desejar que o cliente clique no e-mail e abra o artigo do seu blog. E o seu objetivo com isso é manter o cliente engajado com a sua marca.

O que enviar em meus e-mails?

O e-mail marketing tem abrangência para diversos tipos de conteúdos serem oferecidos, e tudo varia de acordo com o objetivo do seu negócio. Abaixo, algumas idéias:

  • Eventos organizados pela sua empresa ou de interesse público
  • Postagens do seu blog ou vídeos no seu canal do YouTube
  • Conteúdos, posts e informações sobre o tema específico daquela lista
  • Pesquisas com os clientes – você pode inclusive perguntar o que eles gostam de receber!
  • Divulgação dos canais da sua empresa ou avisos importantes
  • Newsletters
  • Resumo sobre o que aconteceu na sua página do Facebook na semana
  • Comunicação de lançamento de serviços ou produtos
  • Ofertas promocionais de produtos ou serviços

Lembre-se que o e-mail tem potencial de ser um canal de relacionamento com os clientes, então evite  enviar apenas ofertas e conteúdo promocional: seus inscritos podem não ver relevância naquele conteúdo e desistir de receber as mensagens.

Você pode definir dias “temáticos”: por exemplo, às segundas você pode mandar um post do blog. A cada 15 dias, uma oferta.

O seu e-mail deve contar uma chamada para ação bem definida: lembre-se do seu objetivo com aquela mensagem e produza um bom call-to-action, que seja claro para o cliente.

Como deve ser o visual da mensagem?

O layout do seu e-mail deve ser bem planejado e seguir um padrão para todos os disparos – isso mostra consistência da sua marca e ajuda o cliente a identificar do que se trata.

A maioria das ferramentas de e-mail marketing possui construtores de e-mail, e você mesmo pode definir um template único para cada tipo de mensagem. Mas para garantir um layout bem feito e que funcione bem em todos os dispositivos, você pode contratar um designer para construir os templates para você. É um investimento que pode ser feito uma vez, e com os templates configurados na sua conta você poderá utilizá-los muitas vezes.

O mais importante é que seu e-mail seja bem visualizado em qualquer dispositivo e com um visual profissional: atualmente os e-mails já são mais vistos em celulares do que computadores, então ter um template responsivo é fundamental.

A mensagem também deve ser leve: evite ter muitas imagens e garanta que o conteúdo em texto não esteja em uma imagem. E-mails pesados podem não abrir em celulares com conexão ruim, e isso faz com que o usuário delete a mensagem e perca o interesse em você, sem nem ter conseguido ler do que se trata o e-mail.

O assunto do e-mail é tão importante quanto o layout

Tão importante quanto o conteúdo, o subject (assunto) da sua mensagem é fundamental para gerar interesse e abertura.

Algumas dicas para um bom subject:

  • Deve estimular a curiosidade do leitor, mas sem ser sensacionalista.
  • O ideal é que seja curto: o celular mostra até 33 caracteres, então o ideal é que seja menor que isso ou que tenha no máximo 40.
  • Devem ser relevantes para o usuário.
  • Você pode personalizar com o nome do leitor, se quiser.

Faça testes, muitos testes!

Uma das vantagens de trabalhar com e-mail marketing é poder usar e abusar dos testes A/B. Crie variações de layout, de título e até de abordagem para um mesmo conteúdo e divida a sua base de contatos em dois grupos. Cada um receberá uma versão da mensagem, e depois você poderá monitorar o que funcionou melhor.

Aplique os aprendizados para as próximas campanhas, e garanta cada vez mais sucesso :).

E então, o que achou?

Está convencido de que e-mail marketing é uma estratégia fundamental e você conseguiu obter uma clareza sobre como começar? Se tiver qualquer dúvida ou sugestão, entre em contato conosco ou deixe uma mensagem nos comentários!