Como montar um site que traga resultados com gestão de projetos

Post Deixe um comentárioPostado em Projetos Digitais, Web Design

As metodologias de gestão de projetos têm grande utilidade para projetos digitais, como criação de sites e gestão de redes sociais. Confira nesse artigo como montar um site que realmente traga resultados com ajuda da gestão de projetos.

Gestão de projetos: um breve contexto

O objetivo da gestão de projetos é conduzir o projeto para que seja executado com sucesso, de acordo com os requisitos definidos inicialmente. Além disso, deve garantir que o produto final atenda às expectativas de negócio.

Para que isso aconteça, deve-se seguir uma metodologia de gerenciamento de projetos. Existem diversas no mercado, e pode-se combinar duas ou mais para atingir os resultados desejados. É importante fazer escolhas que tenham afinidade com o tipo de projeto que será executado.

Algumas das vantagens de seguir uma metodologia de projeto são:

  • O melhor cumprimento e organização do cronograma;
  • Aumento do engajamento da equipe;
  • Melhora na comunicação;
  • Maior satisfação do cliente;
  • Flexibilidade para mudanças.

Uma metodologia bastante utilizada em projetos digitais é a Agile (ou ágil, em português), combinada com o framework Scrum. Juntas, elas são uma alternativa para conduzir projetos de forma produtiva e dinâmica, com flexibilidade.

Nos métodos tradicionais, como PMBOK, o projeto é todo documentado no planejamento de forma muito detalhada, e do início ao fim. Nas metodologias ágeis, essa documentação é feita em etapas mais curtas conforme o projeto é conduzido (chamadas de sprints). Isso garante mais agilidade na execução e entrega de um mínimo produto viável.

Gestão de projetos na prática

Agora que você já conhece um pouco sobre gestão de projetos, vamos à prática. A primeira etapa é definir algumas informações importantes, como o objetivo do projeto, os integrantes da equipe, as responsabilidades de cada um e expectativa de quando o projeto deve ter uma primeira entrega.

Com isso em mente, define-se o primeiro sprint – esse é o primeiro ciclo de atividades. Esses ciclos podem ser semanais ou mensais, dependendo das necessidades do projeto. Serão definidas as tarefas de cada um, e os requisitos para a sprint.

No final da sprint, é feita uma reunião para avaliar  o que deu certo ou não e se as entregas desejadas foram atendidas. Com esses insumos uma nova sprint pode ser criada, com novas tarefas de acordo com os próximos requisitos.

Quando o projeto é avaliado como um mínimo produto viável para lançamento, devem ser feitos os testes e finalmente a publicação. Se houverem ainda atividades a serem executadas, elas devem ser inseridas em novas sprints, junto com melhorias.

É importante verificar na etapa de testes se o produto (no exemplo deste post, um site) cumpre os requisitos definidos. Isso vai garantir que o projeto realmente seja entregue conforme desejado e alcance os objetivos de negócio desejados.

Como definir os requisitos de um site?

Você já sabe que precisa criar um site, mas você conhece os detalhes sobre como ele deve ser? É um site informativo, para captura de potenciais clientes (leads) ou uma loja virtual? Alinhar o seu objetivo de negócio ao tipo de site que deseja é fundamental para que ele traga o retorno desejado.

Com essa definição, é importante fazer uma pesquisa, analisando referências e concorrentes. Analise os pontos fortes e fracos de pelo menos três sites, e tire as suas conclusões sobre o que você acha importante ter no seu site.

Depois, é hora de documentar: quais serão as páginas do site? Faça um mapa de navegação, listando as páginas, a hierarquia delas, aponte a navegação entre elas e documente de forma breve quais são os principais conteúdos de cada página.

Faça um esqueleto (wireframe) de como deve ser a estrutura das páginas.

 

Finalmente, as sprints do projeto

Com os requisitos iniciais definidos, podemos começar!

A primeira atividade é criar o layout: ele deve respeitar a identidade que foi criada para a sua marca. As cores devem contrastar entre conteúdo e fundo, para que a leitura seja confortável e acessível para quem tem dificuldades de visão.

Com o layout aprovado, a próxima atividade é a condificação em HTML ou a montagem em uma plataforma para sites.

Em seguida, vem a criação do conteúdo. É importante lembrar que o seu site precisa ter conteúdo relevante e as palavras-chave corretas devem ser escolhidas, para que ele receba visitas constantemente de forma orgânica. O site precisa ser relevante para a sua persona.

No caso de uma loja virtual, o cadastro dos produtos é fundamental para atrair visitas e munir os clientes de informações interessantes sobre o produto, com o objetivo de aumentar vendas. O cadastro deve ser o mais completo o possível, mas com explicações de forma bastante clara.

Por último, deve-se escolher as ferramentas que vão medir o desempenho do seu site, como por exemplo Google Analytics e Hotjar.

Com as ferramentas instaladas e configuradas, o seu site pode ser testado e ir ao ar!

E depois?

Após o lançamento, deve-se acompanhar o desempenho do site e aplicar melhorias contínuas (a serem definidas em novas sprints). Com isso, o seu site poderá trazer cada vez mais resultados para o seu negócio.

Gostou do conteúdo deste post? Utilizar metodologias ágeis traz excelentes vantagens para que o site traga o retorno desejado.

Se você tiver dúvidas ou quiser saber mais, deixe um comentário, ou envie uma mensagem para nós.

Por que fazer produção de conteúdo?

Por que fazer produção de conteúdo?

Post Deixe um comentárioPostado em Produção de conteúdo

A produção de conteúdo hoje é um dos temas mais importantes de marketing digital. É interessante lembrar, porém, que o marketing de conteúdo não nasceu com a internet: é uma estratégia que existe desde o começo do século XX.

O primeiro case mais conhecido é o do Guia Michelin: o guia foi produzido com o objetivo de explorar mais o turismo. Indiretamente, isso difundia a utilização do automóvel a passeio e contribuía para o mercado automobilístico como um todo. Naquela época, viajar de automóvel era um tanto complicado: as estradas eram ruins e as viagens muito longas.

História do Guia Michelin: um exemplo de produção de conteúdo
Fonte: Guia Michelin

Hoje, a internet e a tecnologia deram espaço para que pessoas e empresas passassem a produzir conteúdo na rede. Assim nasceram empresas especialistas em assuntos específicos, novas profissões e segmentos de negócio e também YouTubers e blogueiros.

Um ponto de atenção é o fato de que isso deu margem a conteúdos de baixa qualidade por um longo tempo, porém nos últimos anos isso entrou em declínio e a qualidade dos conteúdos passou a ser primordial. Se destaca quem produz conteúdo bom e de valor para o usuário.

Diante disso, fica a pergunta: porque fazer produção de conteúdo para minha marca pessoal ou empresarial? Abaixo estão listados os principais argumentos.

1) Atender as necessidades do público-alvo

A produção de conteúdo exige em seu planejamento um estudo prévio das necessidades do seu público. Esse é o ponto mais relevante: se você produzir o que seu público quer ver, conseguirá cativá-lo.

Dessa forma, o público passará a seguir a sua marca e inclusive lhe atribui potencial de viralizar e fortalecer.

Nesse ponto é importante destacar que é preciso pensar com a cabeça do seu público. Para isso, devemos fazer um estudo de persona e entender a fundo as necessidades do seu público, do que eles gostam, como é a rotina e o que costumam ver na internet.

2) Atração orgânica

Usando as palavras-chave corretas de acordo com a sua persona, você ganhará relevância nos buscadores e será encontrado com mais facilidade – dependendo do segmento, consegue inclusive aparecer na primeira página do Google. E o mais legal: sem investir em mídia, pois isso é parte de uma estratégia de SEO.

Ainda sobre SEO, o ideal é alinhar sua estratégia de conteúdo com uma estratégia de SEO para potencializar os resultados. Lembrando que alcance orgânico nos buscadores exige tempo para ter resultado, não é algo que vai funcionar da noite para o dia.

3) Produção de conteúdo te transforma em autoridade e te dará uma imagem positiva

Produzir conteúdo de qualidade exige pesquisa e estudo, o que te torna cada vez mais expert em determinado assunto.

Isso o ajuda-rá a construir a sua autoridade, e influenciará diretamente em como as pessoas percebem o seu negócio, gerando oportunidades futuras de relacionamento.

Outro ponto importante é o fato de que a internet possibilita que as pessoas escolham o que elas realmente querem ver. Hoje é possível filtrar os conteúdos, e isso faz com que a comunicação interruptiva tenha cada vez menos espaço.

4) O melhor conteúdo atrai mais público

Engajamento é um dos principais desafios de marketing digital, e a produção de conteúdo é a melhor estratégia para essa questão. Quanto melhor o conteúdo for, ou o quanto mais ele atender as necessidades do público-alvo, mais seguidores você terá.

Lembrando que a produção de conteúdo exige frequência: a internet está cheia de conteúdos e lembrem-se do ditado: “quem não é visto, não é lembrado”. Se você não tiver estrutura ou tempo para essa produção, você pode contratar alguém para fazer isso para você.

Outro ponto importante é a questão dos canais: nem todos os canais são necessários para todos os segmentos. É preciso estudar aonde está a sua persona, e produzir conteúdo específico para cada canal.

5) E, finalmente: mais vendas!

Quanto mais visitação e seguidores você angariar, mais vendas potenciais para o seu negócio! A autoridade construída através da produção de conteúdo vai influenciar nesse quesito.

Para entender como o conteúdo produzido está apoiando o processo de vendas, é importante sempre mensurar os resultados através de ferramentas analíticas e avaliar a percepção do público através de comentários e reações aos conteúdos disseminados.

Produzir conteúdo exige planejamento e muito trabalho, mas é uma estratégia que vem apresentando cada vez mais resultados na internet.

Tem alguma dúvida? Use os comentários abaixo 🙂 ou nos envie uma mensagem.

Como criar um blog

6 passos para criar um blog hoje mesmo

Post Deixe um comentárioPostado em Blog, Marketing digital, Web Design

Quer saber como criar um blog? Confira as dicas desse artigo e comece hoje mesmo!

Os blogs surgiram como diários on-line na década de 90. Ao longo do tempo, eles passaram a ser adotados por empresas e veículos de mídia. Hoje, a ferramenta possui diversos usos: atração de clientes para empresas, postagem de notícias por grandes veículos e temáticas livres/pessoais que tornaram diversas pessoas influenciadoras digitais.

Um benefício dos blogs se deve ao  fato de que são o melhor tipo de conteúdo para conseguir bom posicionamento nas buscas do Google, desde que seja autoral e bem feito.

1) Começando a criar um blog: primeiro, vamos planejar!

Antes mesmo de criar um blog, é importante ter clareza sobre a temática do mesmo e planejar o conteúdo de forma estratégica para que tenha boa qualidade. Um blog não deve ter postagens aleatórias, mas sim um contexto que permeie todos os textos.

Para fazer esse planejamento, entenda o que seu público-alvo quer ler e selecione as principais palavras-chave que darão origem aos textos.

A qualidade do conteúdo é essencial para o blog ter sucesso, então pesquise antes de começar a escrever. Se certifique também das fontes de informação e sua qualidade.

Outra dica legal sobre conteúdo é ter sempre imagens e vídeos – elas quebram a monotonia do texto e agregam mais valor para o usuário. A produção de imagens e vídeos é parte da produção de conteúdo e também deve ser concebida com cuidado.

Por último, mas não menos importante: não copie conteúdos de outros blogs! Isso afetará o seu posicionamento no Google e reputação digital.

2) Escolha a plataforma do seu blog

Você pode optar por plataformas gratuitas, nas quais  pode fazer o seu cadastro sozinho: Blogger e WordPress.Com são alguns exemplos. Você consegue até criar um endereço .com ou .com.br para o seu blog, mas terá algumas limitações de sistema e personalização.

Outra opção (que é a nossa favorita) é contratar um serviço de hospedagem e instalar nele o WordPress.Org – que se trata de uma versão gratuita e aberta que pode ser instalada em qualquer hospedagem.

A maioria dos serviços já tem a opção de instalação do WordPress.Org no painel, então você nem precisa se preocupar em baixar.

Sobre serviços de hospedagem, existem diversas opções no mercado e aqui na Firework hoje nós trabalhamos com a King Host.

Para registrar seu endereço de domínio, você pode usar o GoDaddy para endereços internacionais ou o Registro.Br para nacionais.

3) Agora, o visual do seu blog

Com tudo pronto, você precisará criar o layout do seu blog para que o mesmo tenha a identidade contextualizada ao conteúdo. Existem diversos templates gratuitos e pagos na internet.

Muitas vezes os modelos gratuitos suprem a necessidade do seu projeto, e alguns exemplos estão disponíveis no próprio WordPress.org. Porém, é recomendado comprar um em casos específicos, principalmente quando o seu blog precisa ser mais profissional.

Duas opções ótimas para compra de templates são o ElegantThemes e o ThemeForest – nós já usamos templates de ambos e eles são realmente muito bons.

A vantagem de compra dos templates é que eles normalmente já vêm com diversas configurações prontas para você nem precisar se preocupar, como formulário de contato.

4) Instale o Google Analytics

Nós recomendamos muito que você instale o Google Analytics em seu blog antes mesmo de tê-lo publicado. Essa ferramenta é gratuita e monitora os acessos e comportamentos de navegação dos seus usuários, e vai te dar muitos insights sobre conteúdo e desempenho.

O cadastro é muito simples e pode ser feito aqui. Ao final do cadastro, você vai obter um código que deve ser instalado em seu blog.

Alguns templates já vem com um campo para isso, mas se não tiver você pode baixar um plugin (ferramenta que cria novas funcionalidades no blog) que faça isso para você.

Para aproveitar melhor os recursos da ferramenta, você pode contratar ajuda profissional para a realização der configurações avançadas. Porém, mesmo com os recursos básicos você já consegue criar um blog simples.

5) Seu blog está pronto!

Com tudo isso pronto e configurado, é importante testar as funcionalidades – principalmente de contato e acesso em vários navegadores e dispositivos. Se estiver tudo certo, o seu blog já está pronto para ter conteúdo publicado e ser divulgado!

É importante lembrar que o processo de conquista de audiência e monetização pode levar algum tempo, mas invista na produção de conteúdo de qualidade, pois irá valer a pena.

 

6) Como criar um blog: dicas finais

Para ter mais funcionalidades e recursos no seu blog, você pode instalar diversos plugins. Alguns exemplos são: a captação de e-mails para listas, a venda simples de produtos, melhorias de SEO e outros.

Falando em SEO, é importante pesquisar sobre o assunto pois boas práticas ajudam seu blog a ter ótimo posicionamento nos buscadores. Isso também tem relação total com o conteúdo do blog.

O plugin Yoast SEO é muito simples de usar e ajuda muito em seus resultados.

Avalie sempre o desempenho de seus conteúdos, e com o tempo faça novas revisões e atualizações em seus posts. Crie também pequenas metas para o seu blog, como por exemplo “quantidade de assinantes” e “visitas” – isso vai ajudar em seu crescimento!

Muitas dessas etapas têm alguns detalhes técnicos que exigem um pouco de estudo. Continue acompanhando o blog que teremos sempre dicas de como fazer o seu blog crescer! Se precisar, envie uma mensagem com suas dúvidas ou utilize os comentários abaixo!

8 tendências de marketing digital para 2018

Post Deixe um comentárioPostado em Marketing digital

Fim de ano é sempre momento de planejar o que queremos para o ano que está por chegar. Pensando nisso, listamos as principais tendências de marketing digital para 2018. Confira e alavanque seus resultados no próximo ano!

1) Mídias sociais são cada vez mais importantes

Cada vez mais as empresas entendem a importância das mídias sociais: elas são fundamentais para o engajamento do consumidor e reconhecimento de marca, uma vez que elas romperam com a prática de mostrar ao público sempre a mesma coisa: hoje o cliente quer informações relevantes.

Por isso, o conteúdo precisa ter qualidade para alcançar esse objetivo e contribuir para o crescimento da rede.

2) Dispositivos móveis não são mais futuro, e sim presente

Os dispositivos móveis já representam 70% do tempo em que os usuários interagem com mídias digitais. A maior parte desse tempo é ocupada por aplicativos, e o Facebook lidera esse ranking.

Isso mostra que cada vez mais as empresas vão investir mais tempo e recursos em conteúdo para mobile. Esses conteúdos são mais simples de serem produzidos, porém exigem experiência e criatividade. Mas o resultado com certeza será mais engajamento para as marcas.

3) Inteligência artificial ganha mais presença

Cada vez mais a inteligência artificial (AI) está presente no marketing digital: mecanismos de buscas, algoritmos de redes sociais e plataformas de mídia já adotam essa tecnologia com o objetivo de reduzir custos e aumentar a assertividade em relação ao que os usuários querem ver. Como uma das tendências de marketing digital para 2018, AI deve ganhar mais força e presença.

Mais um uso para a inteligência artificial é no atendimento ao cliente: já existem ferramentas de bots que podem ser instaladas em websites ou em redes sociais e auxiliam o atendimento aos clientes de forma rápida e efetiva, direcionando previamente respostas ou um atendente após uma verificação inicial.

Bem configuradas, essas ferramentas melhoram a qualidade no atendimento, reduzem custos e aumentam a satisfação do cliente.

4) Conteúdos ricos são os maiores geradores de engajamento

Os conteúdos ricos incentivam a participação do usuário, pois ao agregar valor para eles, influenciam a interação. Eles podem ter diversos formatos: texto, imagem, áudio, vídeo ou outros mais. Pode ser um post em rede social, blog ou um e-mail marketing.

Não existe uma regra: o ideal é entender o que você pode oferecer para o seu cliente e quais os formatos que ele espera ou responde melhor.

5) Conteúdo criado por usuários

As redes sociais permitem que qualquer pessoa produza conteúdo – inclusive sobre marcas, empresas, produtos e serviços. Pesquisas mostram que 66% dos usuários confiam em recomendações de outras pessoas, e esse número é maior ainda se forem de pessoas conhecidas.

Por isso, estratégias sociais com conteúdo criado pelo usuário serão cada vez mais comuns. E é bom lembrar que é possível usar inclusive conteúdo produzido de forma orgânica e incentivar a produção desse tipo de conteúdo.

6) Marketing e tecnologia estão cada vez mais próximos

Cada vez mais marketing e tecnologia trabalham juntos: o número de ferramentas de automação para marketing e análise de dados aumenta a cada dia.

Grandes empresas têm investido na construção de times com profissionais de marketing e ciência de dados atuando de forma integrada.

Já existe até uma expressão para isso: martech. A boa notícia é que muitos desses recursos estão disponíveis também para pequenas empresas.

7) Instagram ganha cada vez mais espaço

O Instagram tem se consolidado como uma importante ferramenta de marketing, principalmente após o lançamento do Stories. Em 2017, a empresa anunciou que já tem 800 milhões de usuários ativos por mês.

Principalmente para estratégias nas áreas de alimentos, produtos, presentes, viagens, experiências e alguns serviços a ferramenta é a opção mais efetiva para social media marketing.

8) Diversificar é o segredo

Os serviços de e-mail tem melhorado a classificação e filtragem das mensagens, permitindo que os usuários selecionem melhor o que é realmente importante para eles.

Por conta disso, as estratégias de marketing precisam depender cada vez menos de e-mail e usar diversos canais: anúncios digitais, redes sociais e outras opções, inclusive off-line.

O que acha das principais tendências de marketing digital para 2018? Comente aqui, ou se tiver alguma dúvida, fale conosco!