Como montar um site que traga resultados com gestão de projetos

Post Deixe um comentárioPostado em Projetos Digitais, Web Design

As metodologias de gestão de projetos têm grande utilidade para projetos digitais, como criação de sites e gestão de redes sociais. Confira nesse artigo como montar um site que realmente traga resultados com ajuda da gestão de projetos.

Gestão de projetos: um breve contexto

O objetivo da gestão de projetos é conduzir o projeto para que seja executado com sucesso, de acordo com os requisitos definidos inicialmente. Além disso, deve garantir que o produto final atenda às expectativas de negócio.

Para que isso aconteça, deve-se seguir uma metodologia de gerenciamento de projetos. Existem diversas no mercado, e pode-se combinar duas ou mais para atingir os resultados desejados. É importante fazer escolhas que tenham afinidade com o tipo de projeto que será executado.

Algumas das vantagens de seguir uma metodologia de projeto são:

  • O melhor cumprimento e organização do cronograma;
  • Aumento do engajamento da equipe;
  • Melhora na comunicação;
  • Maior satisfação do cliente;
  • Flexibilidade para mudanças.

Uma metodologia bastante utilizada em projetos digitais é a Agile (ou ágil, em português), combinada com o framework Scrum. Juntas, elas são uma alternativa para conduzir projetos de forma produtiva e dinâmica, com flexibilidade.

Nos métodos tradicionais, como PMBOK, o projeto é todo documentado no planejamento de forma muito detalhada, e do início ao fim. Nas metodologias ágeis, essa documentação é feita em etapas mais curtas conforme o projeto é conduzido (chamadas de sprints). Isso garante mais agilidade na execução e entrega de um mínimo produto viável.

Gestão de projetos na prática

Agora que você já conhece um pouco sobre gestão de projetos, vamos à prática. A primeira etapa é definir algumas informações importantes, como o objetivo do projeto, os integrantes da equipe, as responsabilidades de cada um e expectativa de quando o projeto deve ter uma primeira entrega.

Com isso em mente, define-se o primeiro sprint – esse é o primeiro ciclo de atividades. Esses ciclos podem ser semanais ou mensais, dependendo das necessidades do projeto. Serão definidas as tarefas de cada um, e os requisitos para a sprint.

No final da sprint, é feita uma reunião para avaliar  o que deu certo ou não e se as entregas desejadas foram atendidas. Com esses insumos uma nova sprint pode ser criada, com novas tarefas de acordo com os próximos requisitos.

Quando o projeto é avaliado como um mínimo produto viável para lançamento, devem ser feitos os testes e finalmente a publicação. Se houverem ainda atividades a serem executadas, elas devem ser inseridas em novas sprints, junto com melhorias.

É importante verificar na etapa de testes se o produto (no exemplo deste post, um site) cumpre os requisitos definidos. Isso vai garantir que o projeto realmente seja entregue conforme desejado e alcance os objetivos de negócio desejados.

Como definir os requisitos de um site?

Você já sabe que precisa criar um site, mas você conhece os detalhes sobre como ele deve ser? É um site informativo, para captura de potenciais clientes (leads) ou uma loja virtual? Alinhar o seu objetivo de negócio ao tipo de site que deseja é fundamental para que ele traga o retorno desejado.

Com essa definição, é importante fazer uma pesquisa, analisando referências e concorrentes. Analise os pontos fortes e fracos de pelo menos três sites, e tire as suas conclusões sobre o que você acha importante ter no seu site.

Depois, é hora de documentar: quais serão as páginas do site? Faça um mapa de navegação, listando as páginas, a hierarquia delas, aponte a navegação entre elas e documente de forma breve quais são os principais conteúdos de cada página.

Faça um esqueleto (wireframe) de como deve ser a estrutura das páginas.

 

Finalmente, as sprints do projeto

Com os requisitos iniciais definidos, podemos começar!

A primeira atividade é criar o layout: ele deve respeitar a identidade que foi criada para a sua marca. As cores devem contrastar entre conteúdo e fundo, para que a leitura seja confortável e acessível para quem tem dificuldades de visão.

Com o layout aprovado, a próxima atividade é a condificação em HTML ou a montagem em uma plataforma para sites.

Em seguida, vem a criação do conteúdo. É importante lembrar que o seu site precisa ter conteúdo relevante e as palavras-chave corretas devem ser escolhidas, para que ele receba visitas constantemente de forma orgânica. O site precisa ser relevante para a sua persona.

No caso de uma loja virtual, o cadastro dos produtos é fundamental para atrair visitas e munir os clientes de informações interessantes sobre o produto, com o objetivo de aumentar vendas. O cadastro deve ser o mais completo o possível, mas com explicações de forma bastante clara.

Por último, deve-se escolher as ferramentas que vão medir o desempenho do seu site, como por exemplo Google Analytics e Hotjar.

Com as ferramentas instaladas e configuradas, o seu site pode ser testado e ir ao ar!

E depois?

Após o lançamento, deve-se acompanhar o desempenho do site e aplicar melhorias contínuas (a serem definidas em novas sprints). Com isso, o seu site poderá trazer cada vez mais resultados para o seu negócio.

Gostou do conteúdo deste post? Utilizar metodologias ágeis traz excelentes vantagens para que o site traga o retorno desejado.

Se você tiver dúvidas ou quiser saber mais, deixe um comentário, ou envie uma mensagem para nós.

E agora, Facebook? Créditos Pixabay.

E agora, Facebook?

Post Deixe um comentárioPostado em Redes sociais

Definitivamente, o assunto da semana foi o escândalo envolvendo o Facebook e a Cambridge Analytica. Mas como isso vai impactar as nossas vidas e negócios digitais daqui para frente?

Entenda o caso do Facebook e a Cambridge Analytica

No sábado, dia 17, os jornais Guardian e New York Times revelaram que a Cambridge Analytica obteve dados de mais de 50 milhões de pessoas sem o consentimento delas através do Facebook, e os usou para campanhas de manipulação política nos Estados Unidos e Reino Unido.

A Cambridge Analytica conseguiu obter esses dados através de um aplicativo de testes na rede social. Esses aplicativos são muito comuns e de grande potencial de viralização. Ao preencher o teste, o usuário concedia acesso aos seus dados e de seus amigos. Dessa forma, ele compartilhava “legalmente” essas informações pois quem fazia o teste aceitava os termos de uso do aplicativo.

A denúncia gerou grande repercussão no mundo político, e Mark Zuckerberg será chamado para prestar depoimento no Reino Unido e nos Estados Unidos. Isso colocou em xeque a capacidade do Facebook de realmente proteger os dados de seus usuários, inclusive porque o Facebook recebeu denúncias sobre a Cambridge Analytica em 2014, e as atitudes tomadas na época não foram suficientes para evitar o pior.

Quando recebeu essas denúncias em 2014, o Facebook não baniu a Cambrigde Analytica da plataforma, porém restringiu um pouco mais o acesso a dados através de aplicativos.

Desde segunda-feira, o Facebook já perdeu mais de US$ 30 bilhões em valor de mercado.

Crise gera mudanças

A nossa opinião é de que o Facebook é uma plataforma que cresceu numa velocidade muito grande, como diversas empresas digitais. Crescer é bom, crescer rápido é melhor ainda. Porém isso dá margem para que detalhes importantes sejam deixados de lado, principalmente diante do fato de que a publicidade realmente gera rendas milionárias para o Facebook. Talvez as escolhas erradas tenham sido feitas.

Esse escândalo influencia de forma negativa a imagem da plataforma. Mas ainda acreditamos no potencial de integrar e conectar mais as pessoas, de inclusão digital e de possibilitar o crescimento de pequenos negócios que ela tem.

Toda crise é uma oportunidade para mudança, e a situação é grave, pois denuncia a manipulação de informações que impactou no destino de diversos países. Mas se o Facebook quiser continuar relevante, agora existe a oportunidade de mostrar ao mundo para o que veio e de corrigir esses problemas para uma internet mais segura e justa.

O alerta fica também para as demais empresas do setor: é importante reverem as suas políticas, antes que caiam no mesmo tipo de situação. Será que isso não acontece em outras plataformas também?

Outro ponto importante: os termos de uso e políticas de privacidade são sempre enormes e confusos, não existe uma forma de tornar isso mais simples para que as pessoas tenham mais consciência do que estão assinando? E como as empresas podem disseminar uma cultura de atenção a isso e a veracidade das informações?

O que vai acontecer agora?

Ainda não se sabe qual vai ser o impacto desses acontecimentos na plataforma por parte dos usuários e anunciantes. O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, fez uma declaração ontem após quatro dias de silêncio aonde apresentou três iniciativas imediatas para melhorar a segurança da plataforma.

  1. Investigar os aplicativos que tiveram acesso a informações pessoais antes de 2014, avaliar atividades suspeitas e banir os desenvolvedores do Facebook se necessário.
  2. Tornar o acesso a dados por parte dos desenvolvedores mais rigoroso, removendo acesso a informações dos aplicativos que os usuários inativaram.
  3. Deixar mais explícita na plataforma a informação de aonde o usuário pode autorizar e desautorizar aplicativos.

O Facebook também se comprometeu a incentivar os usuários a identificar e denunciar aplicativos suspeitos.

A investigações serão aprofundadas nas próximas semanas, e isso vai direcionar os próximos acontecimentos. Por conta disso o impacto para usuários e anunciantes não deve ser imediato, mas não sabemos se as pessoas reduzirão o uso da plataforma.

O que podemos aprender com isso?

Para as empresas, fica o alerta: é importante estar presente em diversos canais e ter uma plataforma própria. Facebook, Instagram e outras redes e mídias sociais são plataformas “alugadas” – a audiência é delas, e elas te “emprestam”. Se um escândalo desse derruba o Facebook, diversas pequenas empresas que se baseiam só nele vão embora junto.

Esse alerta já surgiu antes com as mudanças que tivemos com a redução do alcance orgânico de conteúdo. Nas plataformas próprias, você não depende de algoritmo para ter o conteúdo entregue.

E como as empresas podem ter plataformas próprias? Sites, blogs, portais e newsletter são excelentes exemplos disso. A audiência estará diretamente nelas porque você é relevante para elas, e não através de um intermediador. Isso te dá segurança para continuar se conectando ao seu público independente do que aconteça.

Para os usuários: é importante ter cuidado com os aplicativos que aceita, e cada vez mais critérios sobre a qualidade das informações que consome. Quase ninguém lê os termos de uso de sites e aplicativos aonde se cadastra, e querendo ou não nesse caso da Cambridge Analytica, os usuários aceitaram os termos para compartilhar os dados.

E você, qual a sua opinião sobre tudo isso? Deixe nos comentários abaixo ou então nos mande uma mensagem!

As informações foram pesquisas nos sites: Meio & Mensagem, BBC Brasil e Facebook.

Modelos de sites: 5 referências para 2018

Modelos de sites: 5 referências para 2018

Post Deixe um comentárioPostado em Web Design

O começo do ano é uma ótima época para rever as estratégias de marketing e vendas das empresas, e direcioná-las de acordo com os objetivos do ano. Pensando nisso, um dos pontos importantes de serem revistos é o design de websites.

As tendências de design web estão sempre mudando, como tudo no meio digital. Cores, fontes, modelos de layout e códigos estão em constante atualização como consequência das inovações tecnológicas e mudanças de comportamento da sociedade.

Diante disso, selecionamos algumas tendências de modelos de sites para você ficar de olho em 2018!

1) Sites com animações, GIF´s ou vídeos no fundo e tipografias grandes

Essa tendência surgiu em 2016 e vem ganhando força a cada ano, pois esses elementos proporcionam mais dinamismo ao layout, e em muitos casos ajudam a contar a história de forma mais simples e relevante – inclusive com interações. Combinado a isso, tipografias grandes com negrito e pouco texto ajudam a passar a mensagem de forma mais resumida.
É bom lembrar que os vídeos não devem ser muito pesados, e nem com volume de áudio alto. O ideal é que o áudio esteja mudo – o objetivo do vídeo nesse caso é totalmente visual.

Layout com vídeo no fundo
Usar animações em outros elementos do layout é interessante também, como em boxes com números ou pequenos banners.

Animação no layoutReferência: Manang Creative Template

2) Layouts coloridos e com texturas

Em muitos segmentos, é possível usar layouts coloridos e com texturas. Essa tendência começou com a moda e o design de interiores, mas já é aplicável a diferentes setores inclusive com gradientes e cores bem vibrantes que ajudam a fazer com que o seu website seja lembrado facilmente.

É importante observar que as cores selecionadas precisam ser relacionadas à identidade visual da sua marca, para que não haja uma sensação contrária.

Layouts coloridosReferência: Qust Pro Colorful Flat Portfolio

3) Ilustrações são bem-vindas!

O design flat (minimalista e com cores sólidas) tem sido muito usado há alguns anos, porém, ilustrações com mais detalhes e inclusive elementos animados em 3D e fotos têm voltado a aparecer.

Layouts com ilustraçõesReferência: Merry Christmas Theme

Um ponto interessante desse exemplo de Natal é que na versão para dispositivos móveis, a maior parte da ilustração foi retirada sem perder o contexto da página. E essa referência também tem um exemplo de animação como mencionado no item 1.

4) Flat design com profundidade

Já falamos aqui que o flat design tem dominado a web há alguns anos, e novos tipos de composição dando profundidade e um aspecto mais orgânico ao flat têm surgido.

Flat com profundidadeReferência: Design Culture / Créditos: Flyknit Lunar 1 & 3 Autor: Callum Notman

Layout de site flat com profundidade
Referência: Flat Logistic Template

5) Minimalismo

Layouts minimalistas estão na moda há alguns anos, pois ajudam a enfatizar os elementos e informações mais importantes do site, fazendo com que o usuário vá direto ao ponto para o que se deseja que ele faça. Essa é uma tendência forte inclusive para e-commerce ou sites que têm muito conteúdo, como blogs e portfolios.

Layout minimalista

Referência: Sobari Minimalist Theme

O benefício de fazer revisões e acompanhar as tendências é garantir que seu site esteja com um aspecto visual agradável e atualizado, além de aproveitar para fazer revisões de código, estrutura, conteúdo e SEO. Em outro artigo sobre reformulação de site, nós abordamos mais esse assunto.

É importante lembrar que seu site precisa ser responsivo (se adaptar bem a todos os dispositivos móveis), independente do tipo de layout escolhido.

As referências apresentadas são apenas idéias de modelos de sites, que podem ou não ter relação com o seu negócio – avalie bem antes de solicitar qualquer alteração ou executar alguma mudança.

O que você achou das idéias apresentadas? Diga nos comentários abaixo ou envie uma mensagem para nós!

Referências: Business2Community, Design Culture e Envato Market*

*As referências selecionadas foram extraídas do parceiro afiliado.

 

Por que você precisa criar um site para a sua empresa física

Post Deixe um comentárioPostado em Sem categoria

Ter um site não é só para empresas de internet: negócios locais também necessitam de presença digital, e a criação de site é o primeiro passo para conquistar visibilidade.

Relevância nas buscas e para sua marca

Hoje, 2.4 bilhões de pessoas no mundo andam diariamente com seus smartphones. Essa mudança de comportamento provocada pela transformação digital faz com que cada vez mais as pessoas utilizem as buscas para (quase) tudo.

E para ser considerado relevante nas buscas, ter um site é fundamental: os buscadores entendem como mais relevante um empreendimento que tenha site do que um que não tenha.

Mesmo que seu negócio apareça no mapa do Google, ele ainda vai ter menos relevância e prioridade do que outros negócios que tenham site. Dessa forma, isso também irá gerar maior visibilidade para a sua marca.

Atração de clientes

A criação de um site vai impactar diretamente na atração de mais clientes para o seu negócio – justamente porque as pessoas buscam de tudo.

E com um bom trabalho de SEO (otimização para buscadores), as pessoas podem conhecer o seu negócio mesmo buscando por diferentes informações nem sempre relacionadas diretamente a ele.

Por exemplo: o site de um restaurante japonês pode ter um blog que explique como é a cultura japonesa e a origem dos pratos que o mesmo oferece. Ao pesquisar sobre “origem de pratos japoneses”, o site do restaurante pode ser encontrado.

Um site permite que você conquiste um alcance muito maior de pessoas.

Um site é um canal, mas não é o único

É importante lembrar que ter uma página no Facebook ou um perfil de Instagram não substituem a necessidade de um site.

Dependendo do seu negócio, é importante ter presença em todos os canais – mas o site é o básico que permeia qualquer estratégia. Até porque ao investir em campanhas digitais, você precisa levar o seu cliente para algum lugar quando ele clicar nos anúncios ou e-mails.

Criação de site também é relacionamento

Um site permite que você abra um canal a mais de contato e relacionamento com clientes, fornecedores e potenciais consumidores.

É um espaço no qual você pode divulgar as novidades da empresa, informações para os potenciais clientes e também realizaro atendimento ao consumidor.

Ter um site é como ter uma “filial” do seu negócio na internet. Ele pode inclusive ser uma vitrine de vendas incrível e com muitos resultados positivos para sua empresa.

É possível captar também informações de seus clientes, para oferecer futuramente produtos e serviços mais personalizados e também criar uma lista de clientes e prospects com a mesma finalidade.

Design responsivo

Um ponto imprescindível é que seu site funcione bem em qualquer dispositivo: seja computador, celular ou tablet.

Mais de 50% dos acessos à internet já são feitos em dispositivos móveis, então você precisa garantir presença e fluidez em qualquer lugar.

O site também precisa ser leve, principalmente no Brasil aonde o acesso a internet móvel ainda é caro e limitado.

Conclusão

Você ainda tem alguma dúvida da importância de criar um site para seu negócio? Mande uma mensagem ou escreva aqui nos comentários a sua opinião!